Província
São Lourenço
de Brindes
Freis Capuchinhos do Paraná e Santa Catarina

CÚRIA PROVINCIAL:
Rua Alcides Munhoz, 190 - Caixa Postal: 18.833 - CEP 80410-980 - Curitiba, PR
Tel.: (41) 3335 2323 / Fax: (41) 3335 1087

Sinforiano Ducki -16

sinforiano_duckiNasceu no dia 10 de Maio de 1888 em Varsóvia. Os seus pais chamavam-se Julião Ducki e Mariana Lenardt. No batismo, celebrado no dia 27 de Maio, recebeu o nome Félix (Feliks). Frequentou a escola elementar na sua cidade natal.
Em 1918, quando os Capuchinhos regressaram ao seu Convento, donde foram expulsos durante a perseguição Czarista de 1864, Félix apresentou-se como um aspirante de velha data à vida da Ordem Capuchinha, juntando-se a eles primeiro como aspirante. No dia 9 de Maio de 1920, depois de dois anos de prova, entrou no noviciado em Nowe Miasto, com o nome de Sinforiano, que terminou no dia 20 de Maio de 1921 com a sua profissão simples. Terminado o ano do noviciado, dedicou-se ao serviço dos irmãos nos Conventos de Varsóvia, de 27 de Maio de 1924 até à sua profissão solene que ocorreu no dia 22 de Maio de 1925.
Em Varsóvia, exerceu o ofício de irmão esmoleiro, empenhando-se sobretudo em recolher donativos para a construção do Seminário Menor de São Fidelis, e depois, foi nomeado irmão Sócio do Ministro Provincial.
De caráter sociável, simples, cortês e amistoso, conquistava com facilidade a amizade das pessoas e conseguia novos amigos para a Ordem. Não obstante a sua vida muito ativa entre as pessoas, não perdeu o espírito de oração devota e fervorosa. Era conhecido e estimado pelos habitantes da capital.
Ao começar a Segunda Guerra Mundial, preocupou-se com que não faltasse o necessário, até, que, no dia 27 de Junho de 1941, a Gestapo prendeu todos os Capuchinhos do Convento da capital. No início, Frei Sinforiano foi internado na prisão de Pawiak, e, depois, no dia 3 de Setembro, no Campo de concentração de Auschwitz. De compleição física robusta, sente mais que os outros a fome e as perseguições, tudo suportando em silêncio. A pouca quantidade de comida dada pelos alemães, realmente, não satisfazia nem uma quarta parte das necessidades do organismo de um homem normal. Depois de sete meses foi condenado a morrer lentamente.
Uma noite, enquanto os alemães tinham começado a matar11-Beato Sinforiano Felice-11 brutalmente os prisioneiros, partindo-lhes a cabeça à paulada, Frei Sinforiano afrontou-os fazendo sobre eles o sinal da Cruz. A testemunha ocular seu companheiro de prisão, Czeslaw Ostankowich, declara que foi golpeado na cabeça com um pau, caindo ao chão. Pouco depois, com a pouca força que lhe restava, volta a fazer o sinal da cruz. Foi nesse preciso momento que o assassinaram. Era o dia 11 de Abril de 1942.
A morte de Frei Sinforiano pôs fim à tremenda execução que os alemães estavam a perpetrar, e uma quinzena de prisioneiros salvou-se graças à sua intervenção. Estes carregaram com grande veneração os restos mortais de Frei Sinforiano, juntamente com outros, no carro que os levaria até ao forno crematório.
Com o seu martírio, frei Sinforiano demonstrou grande heroísmo, confessou a sua fé na Santíssima Trindade e salvou a vida a muitos companheiros. No dia 26 de Março de 1999, o Papa João Paulo II inscreveu-o no Catálogo dos Mártires.
ORAÇÃO

Deus eterno e onipotente, que concedestes aos Mártires da Perseguição Nazista na Polônia a graça de morrerem pelo nome de Cristo, vinde em auxílio da nossa fraqueza, para que, a exemplo daqueles que morreram corajosamente por amor de Vós, saibamos dar testemunho da fé com a nossa vida. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso filho que convosco vive e reina pelo séculos dos séculos. Amém..


Liturgia Diária

Evangelho: 5ª-feira da 28ª Semana do Tempo Comum

Santo: São Paulo da Cruz

Publicações VEJA +
Enquete
Quais trechos da Bíblia você consulta mais?
Ver o resultado