Província
São Lourenço
de Brindes
Freis Capuchinhos do Paraná e Santa Catarina

CÚRIA PROVINCIAL:
Rua Alcides Munhoz, 190 - Caixa Postal: 18.833 - CEP 80410-980 - Curitiba, PR
Tel.: (41) 3335 2323 / Fax: (41) 3335 1087

Santiago de Rafelbuñol – 26

Santiago de RafelbuñolSANTIAGO nasceu em Rafelbuñol (Valência, Espanha), aos 10 de abril de 1909 e foi batizado dois dias depois (12 de abril) na paróquia Santo Antônio Abade. Foi o sétimo dos nove filhos do casal Onofre Mestre e Mercedes Iborra. Todos morreram juntos, vítimas da mesma perseguição religiosa. Desde criança, Santiago destacou-se pela sua vida de piedade. Seus vizinhos dizem que ele era rapaz modelo e exemplar em tudo. Ingressou na Ordem Capuchinha aos 12 anos, vestindo o hábito aos 6 de junho de 1924, em Ollería (Valência). Emitiu a profissão temporária aos 7 de junho de 1925 e a perpétua, em Roma, aos 21 de abril de 1930, nas mãos de frei Melchior de Benisa, Ministro Geral da Ordem. Ordenou-se sacerdote também em Roma, aos 26 de março de 1932. Regressando à Espanha, depois de conseguir o doutorado em Teologia na Universidade Gregoriana, foi nomeado vice-diretor do Seminário Seráfico de Massamagrel. Na sua curta vida religiosa distinguiu-se pela sua devoção à Virgem, simplicidade, obediência, humildade e profunda vida interior “Era de caráter bondoso e temperamento vivaz (…). Era considerado pelos fiéis como religioso exemplar. Apesar de suas qualidades de ciência e de sua virtude, mostrava-se sempre humilde e simples (…). Ocupou-se sempre com trabalhos apostólicos próprios da sua condição de religioso sacerdote”, disseram sobre ele seus confrades. Quando se desencadeou o Movimento Nacional, frei Santiago apressou-se em pôr a salvo os seminaristas que estavam sob os seus cuidados e depois refugiou-se na sua cidade Rafelbuñol. Ali, o comitê local fê-lo trabalhar como operário das obras que se realizavam então na casa Abadia, recolhendo os escombros da igreja paroquial e levando vida normal. Certo teve notícias de que os seus irmãos tinham sido detidos pelo comitê e as suas vidas corriam perigo. Disse a si mesmo: “Vou ao comitê ver se, deixando-me prender, libertam meus irmãos”. Ao apresentar-se ao comitê foi detido junto dos seus irmãos e fez- se prisioneiro aos 26 de setembro de 1935. Na prisão, confessou todos os presos. Na noite de 28 para 29 de setembro, os presos foram conduzidos ao cemitério de Massamagrel e, ao passar diante da igreja da padroeira, a Virgem do Milagre, aclamaram- na e, chegados ao cemitério, foram fuzilados gritando: “Viva Cristo Rei!”. Frei Santiago foi assassinado com seus irmãos e sepultado numa fossa comum no cemitério de Massamagrel. Exumados os seus restos e identificados depois, foram transladados para o Panteão de Tombados de Rafelbuñol. Hoje, descansam na capela dos Mártires Capuchinhos do Convento da Madalena, em Massamagrel. Foi beatificado a 11 de março de 2001 pelo Papa João Paulo II.


Liturgia Diária

Evangelho: 5ª-feira da 28ª Semana do Tempo Comum

Santo: São Paulo da Cruz

Publicações VEJA +
Enquete
Quais trechos da Bíblia você consulta mais?
Ver o resultado