Província
São Lourenço
de Brindes
Freis Capuchinhos do Paraná e Santa Catarina

CÚRIA PROVINCIAL:
Rua Alcides Munhoz, 190 - Caixa Postal: 18.833 - CEP 80410-980 - Curitiba, PR
Tel.: (41) 3335 2323 / Fax: (41) 3335 1087

Isabel Calduch Rovira – 26

isabel_calduchISABEL nasceu em Alcará de Chivert, diocese de Tortosa e Província de Castellón de la Plana (Espanha), aos 9 de maio de 1882. Seus pais Francisco Calduch Roures e Amparo Rovira Martí tiveram cinco filhos e Isabel era a última. Seus vizinhos dizem que “durante a sua infância viveu num ambiente muito cristão.Exerceu a caridade com os necessitados. Ela mesma ia com outra amiga levar comida a uma anciã e também lhe prestava ajuda na limpeza pessoal e da casa”. Durante a sua juventude namorou um jovem da sua localidade, muito cristão, porém terminou este relacionamento para abraçar avida religiosa, com o consentimento de seus pais. Ingressou no mosteiro das capuchinhas de Castellón de la Plana, vestindo o hábito em 1900. Disse seu irmão José que “o motivo que induziu sua irmã a entrar na vida religiosa foi puramente por vocação”. Emitiu a profissão simples aos 28 de abril de 1901 e a perpétua, aos 30 de maio de 1904. As religiosas disseram que ela “era de temperamento pacifico e amável, sempre alegre. Era religiosa exemplar. Sempre estava contente, muito observante da Regra e das Constituições, muito modesta no olhar prudente no falar e muito mortificada e morti- ficada ao comer, sendo sempre muito estimada pela Comunidade. Cultivava intensa vida interior sendo muito devota do Santíssimo, da Virgem e de São João Batista”. No mosteiro desempenhou o cargo de mestra de noviças, “fazendo-o com muito zelo para que fossem religiosas observantes, tratando as noviças sem distinções”, disse sobre ela Irmã Micaela. Foi reeleita para outro triênio, que não chegou a desempenhar devi- do à chegada da revolução. Chegada à revolução, a Irmã Isabel foi para Alcalá de Chivert (Castellón) onde tinha um irmão sacerdote, Mosén Manuel, que depois foi assassinado. Enquanto permaneceu na sua cidade, dedicou-se ao retiro e à oração. Ali foi detida aos 13 de abril de 1937 por um grupo de milicianos, com fr. Manuel Geli, sacerdote franciscano. Conduzidos ambos ao comitê local de Alcalá de Chivert, foram injuriados e ridicularizados. Ela assassinada no distrito de Cuevas de Vinromá (Castellón) e sepultada no cemitério daquela mesma cidade. O papa João Paulo II beatificou-a aos 11 de março de 2001.


Liturgia Diária

Evangelho: 5ª-feira da 28ª Semana do Tempo Comum

Santo: São Paulo da Cruz

Publicações VEJA +
Enquete
Quais trechos da Bíblia você consulta mais?
Ver o resultado