Província
São Lourenço
de Brindes
Freis Capuchinhos do Paraná e Santa Catarina

CÚRIA PROVINCIAL:
Rua Alcides Munhoz, 190 - Caixa Postal: 18.833 - CEP 80410-980 - Curitiba, PR
Tel.: (41) 3335 2323 / Fax: (41) 3335 1087

Fidelis de Puzol – 26

fidelispuzolFIDÉLIS nasceu em Puzol, Diocese e Província de Valência (Espanha), aos 8 de janeiro de 1856. Cresceu no seio de uma família piedosa. Era filho de Mariano Climent e Mariana Sanchís. Bem cedo ficou órfão de pai e mãe. Sua tia materna, Josefa Sanchís, adotou-o e deu-lhe educação cristã. Prestou serviço militar, chegando a participar na guerra carlista. Terminada esta, ingressou na Ordem Capuchinha como frade “leigo”, vestindo o hábito aos 13 de junho de 1880, em Massamagrel. Emitiu a profissão temporária aos 14 de junho de 1881 e a perpétua, aos 17 de junho de 1884. A figura franciscana de frei Fidel recorda a dos santos frades ‘leigos “capuchinhos: entrado no convento com idade madura. Sua vocação não foi, portanto, fruto das loucuras próprias da idade jovem. Eram trabalhadores incansáveis, empenhando-se durante anos como porteiros, esmoleres, hortelãos, sa- cristãos, cozinheiros, trabalhos estes que requerem constituição física robusta. Além disso, eram homens de vida de fé, oração profunda, devotos da Virgem, obedientes e submissos em tudo, silenciosos, penitentes, austeros… Frei Fidélis, ao longo da sua vida religiosa, passou pelos conventos de Barcelona, Totana, Orihuela, Massamagrel e Valência, trabalhando como porteiro, cozinheiro, assistente do Seminário Seráfico, companheiro do Ministro provincial”. Este o retrato de como o recordavam os religiosos: “Era de temperamento quieto e aprazível. Não se perturbava por nada e seu aspecto era sempre sorridente. Consideravam-no com grande apreço e boa fama, tanto os religiosos como todos os fiéis. Cumpria muito bem suas obrigações e a Regra da Ordem. Era homem todo de Deus. Rezava continuamente. Tinha sempre o rosário nas mãos e era muito devoto da Virgem. Tinha fama de santo”. Quando foi fechado o Convento de Valência, frei Fidélis refugiou-se em Puzol, na casa de uns familiares, onde, devido à sua idade avançada (82 anos), não saía de casa, porque não enxergavam bem. Ali permaneceu sereno, ocupando-se da oração. Foi detido ao entardecer do dia 27 de setembro, por membros do comitê local, com o pretexto de levá-lo ao asilo das “Hermanitas de los Pobres” de Sagunto. Enquanto estava sendo levado pela estrada principal de Barcelona até ao distrito municipal de Sagunto, foi assassinado na entrada da casa “Laval de Jesus”. Foi a empregada dessa casa que advertiu sobre a presença de um cadáver na entrada, que há dois dias estava ali, aguardando sepultura. Era o corpo de frei Fidélis, sendo sepultado no cemitério de Sagunto, junto a outros corpos. Seus restos mortais não puderam ser identificados. Foi beatificado aos 11 de março de 2001 pelo Papa João Paulo II.


Liturgia Diária

Evangelho: 5ª-feira da 28ª Semana do Tempo Comum

Santo: São Paulo da Cruz

Publicações VEJA +
Enquete
Quais trechos da Bíblia você consulta mais?
Ver o resultado